Total de visitantes

18 junho, 2018

Máscara de Pedra (Stone Mask) - Jojo's Bizarre Adventure



A Máscara de Pedra é um objeto chave durante as Partes I e II do mangá  JoJo's Bizarre Adventure.
Vista pela primeira vez em um culto de Vampiros escondido no império Asteca, as Máscaras de Pedra foram originalmente criadas por Kars como uma tentativa de adquirir para o seu povo a habilidade de andar sob a luz do sol.

Entretanto, a Máscara em si não tinha o poder necessário de causar essa evolução, apenas podia transformar humanos em Vampiros. Em Phantom Blood, Jonathan Joestar pesquisou sobre a Máscara para descobrir o propósito dela, o que atraiu a atenção de Dio Brando. No confronto entre Jonathan e Dio na mansão Joestar, o último apunhala George Joestar e usa seu sangue para ativar a Máscara de Pedra, assim se transformando em um Vampiro.

Em Battle Tendency, Straits faz a mesma coisa ao utilizar o sangue de Speedwagon, assim como os nazistas fazem com cobaias para experimentar o poder da Máscara.
A habilidade da Máscara de Pedra é ativada quando é banhada com sangue. Quando isso ocorre, ela libera agulhas de pedra que vão atravessando o crânio e o cérebro do usuário.

Essas agulhas atingem partes específicas da cabeça, como se fosse acupuntura, liberando o potêncial oculto do usuário. Com isso, o indivíduo recebe super força e habilidades de um Vampiro, mas estão sujeitos a morrer pela luz do sol e pelo poder do Hamon ( é a técnica de luta usada em nas primeiras sagas de Jojo: Phantom Blood e Battle Tendency. Ela foi criada pelo primitivo clã do Hamon para combater   os vampiros criados pela Máscara de Pedra. Os antigos usuários do Hamon criaram diversos templos ao redor do mundo para treinar a técnica. Em Phantom Blood, essa habilidade é apresentada a Jonathan Joestar por Willian Antonio Zeppeli, que o ensina a ser um usuário de Hamon para poder lutar contra Dio.
Jojo’s Bizarre Adventure
 O nome original é JoJo no Kimyou na Bouken (ジョジョの奇妙な冒険, JoJo no Kimyō na Bōken?, lit. "As Bizarras Aventuras de JoJo") é um mangá japonês escrito e ilustrado por Hirohiko Araki. O mangá foi publicado pela Shueisha em sua revista Weekly Shōnen Jump entre 1987 e 2004, e a partir de 2004 pela revista seinen Ultra Jump. É atualmente o segundo mangá mais longo da Shonen Jump com 118 volumes e ainda em produção (apenas atrás de Kochi-Kame, concluído com 200 volumes). O que fez dele, por um tempo, o mangá mais longo sem uma adaptação para televisão
Fonte: Wikipedia

07 junho, 2018

Brasão de Wetzlar envolto em maracujás (aquarela à mão)










Wetzlar é uma cidade da Alemanha, antigamente uma cidade imperial, capital do distrito de Lahn-Dill, no estado de Hessen. Em 2004, sua população foi estimada em 52.870 habitantes.
Wetzlar encontra-se na área do Lahn-Dill em Hesse médio no rio Lahn, não distante rio abaixo de sua mudança no sentido do sul ao oeste nas alturas perto da boca do rio Dill. A cidade encontra-se em uma divisão entre escalas baixas da montanha do Hesse: o sul do Lahn encontra-se o Taunus; o norte do Lahn e ao oeste do Dill começa o Westerwald; o norte do Lahn e leste do Dill começa o Rothaargebirge. O ponto o mais elevado dentro dos limites da cidade é o Stoppelberg em 401 m acima do nível do mar. As cidades vizinhas e as cidades de Wetzlar são Gießen (acima do Lahn do centro ao centro aproximadamente 12 quilômetros), Koblenz 80 quilômetros abaixo o Lahn, o Limburg 40 quilômetros ao oeste, o Siegen 50 quilômetros ao noroeste, o Dillenburg 30 quilômetros ao norte, o Marburg 30 quilômetros ao nordeste e o Francoforte 60 quilômetros ao sul. Wetzlar e Gießen são os dois núcleos deste (aproximadamente 200.000 habitantes) agglomeration urbano pequeno em Hesse médio. Ao longo dos vales do Lahn (leste e ocidental) e do Dill (norte) são pesadamente as comunidades vizinho construído acima, cujas áreas construído acima em alguns lugares fundem com o Wetzlar. A montanha baixa varia em torno de Wetzlar ao noroeste, nordeste e para o sul, na uma mão, é pesadamente arborizada e povoada muito fina.
Maracujá
Maracujá (do tupi mara kuya, "fruto que se serve" ou "alimento na cuia") é um fruto produzido pelas plantas do género Passiflora (essencialmente da espécie Passiflora edulis) da família Passifloraceae. O nome da planta é também conhecido como maracujazeiro: é espontâneo nas zonas tropicais e subtropicais da América.

Cultivada também pela sua flor ornamental (tal como as outras espécies do mesmo género botânico), a Passiflora edulis é cultivada com fins comerciais, devido ao fruto, no Caribe, no sul da Florida e no Brasil, que é o maior produtor - e também consumidor - mundial de maracujá. O maracujá de uso comercial é redondo ou ovoide, amarelo ou púrpura-escuro quando está maduro, e tem uma grande quantidade de sementes no seu interior.

O fruto é utilizado especialmente para produzir suco ou polpa de maracujá, às vezes misturada ao suco de outros frutos, como a laranja. É popularmente conhecido como a fruta da tranquilidade. A flor do maracujá é polinizada principalmente por abelhas grandes, conhecidas popularmente como mamangava.
Fonte: Wikipedia

04 junho, 2018

Constelações de Centauro, Cruzeiro do Sul e lobo (colorizados)

 
 
Centaurus (Cen), o Centauro, é uma constelação do hemisfério celestial sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Centauri.
Proxima Centauri, uma das estrelas dessa constelação, é a estrela mais próxima do Sistema Solar. Além disso, um dos objetos distantes localizados nesta constelação, a Nebulosa do Bumerangue, é o local mais frio conhecido pela ciência, com uma temperatura de apenas 1 kelvin (-272 °C). Também se encontra nessa constelação o maior aglomerado globular da nossa galáxia: Omega Centauri, que contém mais de 10 milhões de estrelas.
As constelações vizinhas são Hydra, Antlia, Vela, Carina, Musca (duas fronteiras, com Crux entre elas), Circinus e Lupus.
 
 Crux, também conhecido como Cruzeiro do Sul, é uma constelação localizada no céu meridional em uma porção brilhante da Via Láctea. É uma das constelações mais facilmente reconhecíveis, uma vez que as suas quatro estrelas principais têm magnitude aparente visual menor (mais brilhante) que +2,8, apesar de ser a menor das 88 constelações modernas. Seu nome significa “cruz” em latim e ela é dominada por um asterismo em forma de pipa.
Sobressaindo no asterismo está a mais meridional estrela de primeira magnitude e a estrela mais brilhante da constelação, a branco-azulada Alpha Crucis ou Acrux, seguida por quatro outras estrelas, decrescendo em magnitude no sentido horário: Beta, Gamma (uma das gigantes vermelhas mais próximas da Terra), Delta e Epsilon Crucis. Muitas dessas estrelas mais brilhantes são membros da Associação Scorpios-Centaurus, um grupo grande porém espalhado de estrelas branco-azuladas que parecem ter origens e movimentos comuns na Via Láctea meridional. A constelação contém quatro variáveis Cefeidas que são visíveis a olho nu em boas condições. Crux também contém o brilhante e colorido aglomerado estelar aberto conhecido como Caixa de Joias (NGC 4755) e, a sudoeste, inclui parcialmente a extensa nebulosa escura conhecida como Saco de Carvão.

 Lupus (o lobo) é uma constelação do hemisfério celestial sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Lupi.
 
Fonte: Wikipédia

26 maio, 2018

Lion-O - O Líder dos Thundercats

ThunderCats foi uma série de animação desenvolvida pela Hanna Barbera em 1983, baseada nos personagens criados por Tobin "Ted" Wolf e Leonard Starr. A animação foi produzida por Pacific Animation Corporation (PAC) , um estúdio japonês com origem em 1985 e que mais tarde seria adquirido pela Walt Disney Company. A primeira temporada foi ao ar em 1985 (com 65 episódios), seguido do filme intitulado ThunderCats - HO! em 1986. As temporadas 2 (1987-1988), 3 (1988-1989), e 4 (1989-1990), seguiram o novo formato de 20 episódios cada.

A série foi originalmente distribuída pela Rankin-Bass Productions, empresa do grupo Telepictures Corporation, que mais tarde se fundiu com a Lorimar Productions em 1986. Em 1989, Lorimar-Telepictures foi comprado pela Warner Bros.,[6] que acabou assumindo a distribuição da série; A Warner Bros. acabou adquirindo os direitos da série (e de toda a programação Lorimar-Telepictures) a partir desse ponto.
No Brasil, a série foi inicialmente exibida em 1986 até 1990 pela Rede Globo, exibindo somente os primeiros 100 episódios dos 130 produzidos. Em 1995, Thundercats voltou a ser exibido pelo canal, no bloco TV Colosso. Nesse período também havia começado a ser exibido pela Warner Channel e pelo Cartoon Network. Em 2 de julho de 2001 passou a ser exibido pelo SBT, no programa "Bom Dia & Cia", na época apresentado por Jackeline Petkovic, desta vez, exibindo também o restante da série. Em 19 de janeiro de 2012 voltou a ser exibido novamente pelo SBT, no programa Sábado Animado. Em Portugal a série estreou em 1988 na RTP2 e voltou a repetir em 1992 no mesmo canal com dublagem original em inglês com legendas em português.


O Lion-O(pronúncia: Lai-on) é o líder dos ThunderCats que moram no terceiro mundo e lutam pela ordem e justiça. Criado pelo desenhista Ted Wolf para a Telepictures Corporation. No Brasil foi dublado por Newton da Matta. Como seu nome diz, ele é da linhagem dos leões de Thundera, como seu pai, Cláudios. Sua poderosa Espada Justiceira é utilizada para chamar todos os Thundercats quando está em perigo, dá a "visão além do alcance" para ver o que se passa com um Thundercat que esteja em perigo, além de soltar raios poderosíssimos e possuir o poderoso "Olho de Thundera", símbolo maior que representa o seu lema: justiça, verdade, honra e lealdade. Possui também o Escudo-Garra, que se encaixa na sua mão para ser utilizado como escudo, atira garras ligadas a fios super resistentes e ainda solta gases de diversos tipos.
Lion-O era criança quando entrou na nave de fuga em Thundera. Antes de entrar na cápsula de suspensão, Jaga havia alertado que embora as cápsulas reduzam o processo de envelhecimento, algum envelhecimento acontece (conforme episódio I). Assim, ao chegar no Terceiro Mundo, Lion-O havia se tornado um adulto.

Fonte: Wikipedia



25 maio, 2018

1º Regimento de Cavalaria de Guardas (à cores)


 
 O atual 1º Regimento de Cavalaria de Guardas tem origem no Esquadrão de Cavalaria Ligeira da Guarda do Ilustríssimo e Excelentíssimo Vice-Rei do Estado, criado no Rio de Janeiro pela ordem régia de 31 de janeiro de 1765 do Rei D. José I de Portugal. A unidade foi organizada segundo o modelo dos esquadrões de dragões do Rio Grande do Sul e com oficiais destes.
O Esquadrão da Guarda do Vice-Rei foi reorganizado pelo então Príncipe Regente D. João, em 13 de maio de 1808 - quando a Corte Portuguesa transferiu-se para o Brasil, fugida da invasão napoleônica em Portugal - como 1º Regimento de Cavalaria do Exército.
Com a independência do Brasil, em 1822, e proclamação do Império brasileiro (1822-1889), transformou-se na Imperial Guarda de Honra (1822-1831).
Em 1911, o deputado e historiador Gustavo Barroso iniciou uma ação no sentido de exaltar as tradições militares do Brasil. Após uma análise da cronologia do 1º RCG, apresentou em 1917 à Câmara dos Deputados um projeto de lei de sua autoria solicitando permissão para resgatar as tradições do regimento.
O Senado brasileiro conferiu aprovação final ao projeto-de-lei no ano de 1927, tendo o uniforme histórico da Imperial Guarda de Honra voltado a ser envergado pela unidade no desfile de comemoração do 7 de setembro daquele mesmo ano.
O 1º RCG participou dos principais momentos da História do Brasil, dentre eles a Independência do Brasil, a Guerra Cisplatina e a Proclamação da República. A origem do dístico histórico do Regimento é a solicitação pelo Marechal Deodoro da Fonseca de um cavalo, por ocasião da Proclamação da República. Neste evento o Alferes Eduardo José Barbosa entregou o baio de nº 6, sobre o dorso do qual o Marechal extinguiu o Império. Assim, historicamente, o Comandante do 1º RCG monta, tradicionalmente, um cavalo baio, identificado como o de nº 6.
Fonte: Wikipédia

24 maio, 2018

Estou , a medida do possível, republicando e melhorando publicações antigas minhas que estavam sem texto ou com escaneamento ruim. Um exemplo é do 1º Regimento... entrem no link abaixo para verificar:

17 maio, 2018

O Gralha - Super-herói Curitibano


O Gralha é um personagem brasileiro de história em quadrinhos. Surgiu pela primeira vez em outubro de 1997 em uma edição especial da revista Metal Pesado em comemoração aos 15 anos da Gibiteca de Curitiba - capital do Estado do Paraná - BR. Sua criação é atribuída de forma coletiva a todos os quadrinistas que participaram da edição: Gian Danton, Alessandro Dutra, José Aguiar, Antônio Éder, Luciano Lagares, Tako X, Edson Kohatsu, Augusto Freitas e Nilson Müller. O alter ego do super-herói é Gustavo Gomes, um vestibulando de Curitiba que se transforma em O Gralha quando surge algum perigo. As histórias fazem referências a características curitibanas (a gralha-azul, animal que inspirou o nome e o uniforme do herói, é o símbolo da cidade, por exemplo). Entre seus inimigos estão Craniano, Araucária e Homem-Lambrequim, cujos nomes e poderes também remetem a características e símbolos de Curitiba.
Fiz uma versão deste super-herói brasileiro! Acho que cada cidade do Brasil deveria ter um super-herói que simbolizasse as caracetristicas de suas cidades!

15 maio, 2018

Kamen Rider Black - minha Versão




Kamen Rider Black (仮面ライダーBLACK, Kamen Raidā Burakku?, lançado no Brasil como Black Kamen Rider e Blackman) é uma série de televisão japonesa do gênero tokusatsu pertencente à franquia dos Kamen Riders. Produzida pela Toei Company em associação com a Ishinomori Productions, foi exibida originalmente entre 4 de outubro de 1987 até 9 de outubro de 1988 pela MBS e TBS. Foi a primeira série da franquia a ser transmitida no Brasil, exibida pela extinta Rede Manchete a partir de abril de 1991, no bloco Sessão Super Heróis, obtendo grande sucesso e popularidade. Kamen Rider Black continuou sendo exibido até dezembro de 1994, além de ter sido lançada em VHS. No Japão, a série marcou o retorno da franquia após um hiato de 6 anos sem a produção de séries televisivas. É a segunda série da franquia Kamen Rider a ter uma continuação direta, intitulada Kamen Rider Black RX e a única na qual a continuação continua com o foco no mesmo protagonista, Issamu Minami (Kotaro Minami no original). A temática adulta e dramática da série, contrastante com as demais séries do gênero da época, foi (e até hoje é) elogiada por muitos fãs, sendo por muitos considerada uma das melhores produções da franquia e do gênero tokusatsu já produzidas no Japão. Atualmente, é transmitida na Ulbra TV, aos Sábados e Domingos, às 21h20min, assim como outros tokusatsus de muito sucesso no Brasil como Ultraman, Jiraiya, Jiban, Flashman e Jaspion.

Fonte: wikipedia